quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Ser Diferente Não Faz mal

Na sequência da atividade realizada no âmbito do dia internacional da pessoal com deficiência, em que todas as turmas do 3º e 4º ano foram envolvidas em tarefas de sensibilização e alerta para esta problemática, estão agora expostos os trabalhos num dos  paineis da entrada da escola.
O grupo de professoras de educação especial organizou esta tarefa e aqui vos deixo apenas um exemplo dos trabalhos excelentes que os alunos elaboraram. 


Aprender a tratar todos como iguais
Olá, eu sou o Gil e vou contar porque devemos tratar todas as pessoas como iguais, apesar de algumas terem diferenças, como aprendi hoje na minha escola.
De manhã fui para a escola todo contente para ir ver os meus amigos e as minhas professoras. Tive aulas com a professora Margarida e como sempre às 10:30 fui para o intervalo. Quando voltei para a minha sala, apareceram duas professoras muito simpáticas que nos disseram que íamos ver dois vídeos sobre pessoas com deficiências mas que conseguem fazer coisas impressionantes.
Dirigimo-nos para a biblioteca para ver o filme. Era fantástico. Depois fizeram algumas perguntas e chegamos à conclusão que devíamos tratar as pessoas com deficiências como iguais.
De seguida fizemos algumas experiências para descobrir as dificuldades que essas pessoas têm: tapamos os olhos com uma venda para fingir que éramos cegos. Em seguida fomos para a nossa sala onde estavam umas caixas espalhadas e tínhamos de tentar encontrá-las. Abrimos a caixa e com o tato tentámos adivinhar o que se encontrava lá dentro. Havia copos de plástico, pentes, telefones, cremes para as mãos, escovas dos dentes… Tirámos a venda e verificamos os objetos. Foi muito divertido.
Depois fingimos que éramos surdos e tínhamos de tentar acertar o que as professoras diziam só vendo os lábios a mexer. Depois fizeram em linguagem gestual e tudo foi mais fácil. Nessa altura aprendi que quando falámos para algum surdo devemos olhar para ele pois assim consegue perceber o que dizemos.
Por fim atámos as mãos atrás das costas e tentámos abrir uma caixa para tirar o que tinha lá dentro sem utilizar os braços. Era um pouco complicado.
Foi uma manhã extraordinária e nunca a irei esquecer pois aprendi uma coisa muito importante! As pessoas com deficiências apesar de terem grandes limitações conseguem fazer coisas extraordinárias. Não devemos tratá-las mal!!...
João Gil Ferreira PC4C

Sem comentários: